sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Sexo oral à bruta

As coisas boas e prazenteiras encontram-se muitas vezes onde não se espera.Passa-se ao lado e não chamam a atenção.Neste caso,nem uma tabuleta,nem néon,nem nome da casa. Publicidade, nenhuma.Lugar tão discreto quanto modesto,tipo taberna.Aqui bem perto.Os frequentadores,uns são locais,a maioria vem de longe,dos quatro cantos de Portugal e até do estrangeiro.São assíduos,viciados e egoístas.Quase sempre os mesmos,uma espécie de seita ou clube reservado,não vá alguém tirar-lhes o lugar.Cá fora,na presença de estranhos, entre eles falam um linguajar codificado.Do género:vamos oralizar à bruta? E uma canjá 365? Esta noite vou numas da figueira.
Hoje a sorte sorriu-me(nos).Iamos a passar e tropeçámos nuns amigos que não víamos há muito tempo,junto à porta de entrada.Não resistiram a convidar-nos.
Ocupámos a única mesa dísponível,reservada pelos nossos amigos.O ambiente era descontraído,informal,bem-disposto,acolhedor.
Em poucos minutos estávamos a ser servidos,pelo dono da casa,o Necas.A ementa estava escrita à mão,numa grande lousa pregada na parede,que abusivamente aqui transcrevo:
pixas da Figueira - camarão 35/69 - sapateira -canilhas -santolas-ameijoas-lagosta-
mexilhão-burriés-lagostins,tigres To-canja à 365 -ostras - sexo oral à bruta .
A sessão durou três breves horas.Ainda assim,deu para provar de tudo(quase tudo).
Gostei particularmente da canja à 365,das pixas da Figueira,das ameijoas da Foz do Arelho,das incomparaveis ostras da Mexilhoeira Grande e do sempre presente e inolvidável sexo oral à bruta (de proveniência não revelada,por ser segredo da casa).
O preço terei que o considerar módico,atenta a quantidade,variedade e qualidade do serviço.
Uma noite bem passada.Espero repetir,uma ,duas,três,muitas vezes,tantas quantas me fôr possível.
Se não me tivessem feito jurar que não divulgaria,aqui vos deixaria o endereço.Mas posso deixar-vos uma pista : sexo oral à bruta é na Marinha Grande.

O C.C.C. - Centro Cénico da Cela - uma associação exemplar

(Ficou só o título,perdi o texto.fica para mais tarde,ainda o dia é uma criança)

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Francisco Lopes levou Cavaco ao tapete

Francisco Lopes,candidato do PCP ás presidenciais,vai bem preparado para os debates.
Cavaco Silva usa sempre a mesma técnica:como não tem nada de substancial a dizer, ou não responde às questões ou responde de forma evasiva.
Os discursos de Cavaco enquanto Presidente,são exemplares: ninguém percebe o que quer dizer e a quem se dirige.Depois cada um conclui de acordo com as suas conveniências.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Ana Gomes ,uma mulher de coragem

A deputada socialista no parlamento europeu,Ana Gomes,é política controversa,polémica, persistente.Foi diplomata,mas não parece.Não cultiva o silêncio,bem pelo contrário, fala pelos cotovelos.Uma espécie de Wikileaks por antecipação.Não hesita pôr em maus lençóis o governo do partido a que pertence. Quando agarra uma questão,não mais a larga até pôr tudo em pratos limpos. A sua luta pela transparência é sem dúvida a sua imagem de marca. Concorde-se com ela ou não,só por isso já merece aplauso.Neste campo, é de realçar o caso dos voos da Cia por território português,com prisioneiros para e de Guantanamo.Não tem largado Sócrates,o ministro dos negócios estrangeiros,Amado,o Ministério público,os parlamento português e europeu e sei lá quem mais.Talvez por via dela ,venhamos a saber o que realmente se passou,no que toca a respeito pelos direitos humanos pelo governo português,já que quanto ao mesmo nos E.U.A. no tempo de Bush,está tudo ou quase tudo dito,visto e mais que provado.Respeito,nenhum.
Vem isto ao caso,pelo facto de num destes dias a Deputada ter dado mais um passo importante no combate pela transparência e contra a corrupção.O caso do contrato da compra e contrapartidas de submarinos à Alemanha por Durão Barroso e Paulo Portas.
A deputada apresentou uma queixa na Comissão Europeia para anular o contrato por corrupção,tanto do lado português como do lado alemão.Processo que inevitavelmente põe em causa a credibilidade daqueles dois nossos ex-governantes.E,mais do que isso,põe em causa o Presidente em exercício da Comissão Europeia,exactamente o mesmo Durão Barroso.
Mexer com poderosos é sempre um risco muito elevado.É caso para dizer:é de mulher !

sábado, 18 de dezembro de 2010

Debate Fernando Nobre - Cavaco Silva

Fernando Nobre fala da vida,das carências,do sofrimento,do povo.
Cavaco Silva fala como um funcionário público que não quer perder o lugar.Sacode a água do capote,a responsabilidade é dos outros.Não fez nada para evitar a situação aflitiva que os portugueses vivem,porque a lei não deixa,não tem poderes. Propõe-se continuar,com os mesmos poderes, a fazer o mesmo e ainda com mais afinco.
Cavaco Silva (como todos os outros candidatos) admira Fernando Nobre,a sua continuada
acção humanitária em Portugal e no estrangeiro.
Cavaco e aliados, enviam soldados(mercenários)a fazer a guerra.Nobre que vá socorrer as vítimas.
A política é para os burocratas dos partidos.Cavaco, é. Nobre,não é.
Por isso,Cavaco acha que pode ser Presidente,conhece os corredores da intriga e do poder.
Sr.Nobre,por favor,o senhor é um simples cidadão ilustre ,habituado ao trabalho em campo aberto. Sr Nobre ,que ideia a sua ,deixe a presidência para mim que já estou habituado,o senhor iria perder-se naquele labirinto.Para além disso,cada um é para o que nasceu.Deixe que eu me encarregue de tratar da saúde desses abomináveis homens do dinheiro,que não me largam a perna,quais cães afilados,que a si senhor Nobre,fique descansado,espoliados,refugiados,perseguidos,esfomeados, doentes, pobres,reformados,feridos,mutilados e outros desgraçados não lhe hão-de faltar.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

A moral é verde

Em viagem, hoje,ouvi esta de um historiador :
A moral é verde,veio um burro e comeu-a .

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

8 de Dezembro feriado da Imaculada Conceição

Um feriado sabe sempre bem.Mas este é mais um que não se justifica num estado laico.
A crendice de que Maria,foi concebida ela própria e concebeu(Jesus)sem pecado original,isto é,sem relacionamento sexual,por isso imaculada, não passa de mais uma trapalhada teológica que nunca foi aceite por grande parte das igrejas cristãs e por iminentes teólogos católicos. A Imaculada foi declarada Padroeira de Portugal por D.João IV ,nas cortes de Lisboa ,no dia 25 de Março de 1646.O dogma da Imaculada(obrigatoriedade de aceitá-lo como verdadeiro e indiscutível pelos católicos) foi decretado pelo papa Pio IX em 8 de Dezembro de l854.
Que acredite e celebre quem quiser,mas que o estado o patrocine e imponha a todos os cidadãos é um atavismo de bradar aos céus.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Um melro com 77 anos

Há uns bons pares de anos que nos conhecemos e falamos.Disto e daquilo e daqueloutro.
De pequena estatura mas rijo,de andar ligeiro,sempre sorridente e afável,ninguém lhe dá a idade que tem.
Só há dias ,em conversa,no Centro Cénico da Cela ,onde frequentemente nos encontramos,soube a sua graça: Adílio Marques Melro.Por erro ortográfico do conservador do registo civil,começou por ser Adélio,o que lhe causou durante anos um enorme desgosto,até que,com um jeitinho, do é se fez um í.
Melro veio-lhe da parte do avô e pai.E tem pena de não ter recebido o apelido de sua mãe,que era Rola.

A greve geral

A greve geral do dia 24 de Novembro foi um meio sucesso.Parou o sector público,mas não o privado.
Brevemente,nas próximas eleições para a Presidência da República,ficaremos a conhecer, sem margem para dúvidas,o estado e grau de consciência política do povo que somos.

Anúncio

A cimeira da Nato em Lisboa foi um enorme sucesso para os seus promotores.A Nato associou-se ao seu ex-arqui-rival e inimigo(ex-URSS)actual Rússia.De regresso a casa,os participantes começaram a sentir um intenso sabor amargo na boca.Só então repararam que a sua querida Nato,sem inimigo,não tinha mais razão de viver.
Daí,o anúncio que nos dias seguintes apareceu em todas as televisões,rádios,facebook, placards,jornais e em cada árvore do planeta:

Dão-se alvíssaras

Urgente !
Caso de vida ou morte !
Alvíssaras a quem descobrir ou inventar um inimigo para a Nato.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

24 Novembro - Greve Geral


Estou com esta greve.
Gostaria de ver uma greve geral na União Europeia.
À união dos banqueiros,especuladores,extorcionistas ,governos e afins, opôr a união do
mundo do trabalho.

sábado, 20 de novembro de 2010

Táctica errada


Que em Portugal as forças progressistas lutem contra a existência da Nato e que pelo menos deixemos de pertencer a esta organização militarista,não oferece dúvidas.
Dissolver a Nato é um objectivo muito ambicioso,no actual contexto político europeu e mundial.São 27 países envolvidos,sendo um deles hegemónico,os EUA,que é ainda a maior potência mundial.Provavelmente,será uma luta para muitos anos e gerações.
A luta contra a Nato ,ao longo dos anos da sua existência ,tem pecado em Portugal e por toda a Europa por inconsistente,desgarrada,mais ou menos folclórica,desinformada, sem adesão de massas,logo,inconsequente.
Em cada país os que lutam contra a existência da Nato,devem definir objectivos intermédios que,inevitavelmente,serão diferentes entre si.
Em Portugal não faz grande sentido lutar contra a Nato e não lutarmos em primeira linha,em primeira etapa,pela extinção das nossas forças armadas.Este sim,um objectivo que depende exclusivamente da vontade do povo português,perfeitamente alcançável a médio prazo.
Para isso é absolutamente indispensável que as forças políticas progressistas, partidos e movimentos cívicos,percam o medo,digo bem, medo,de falar e discutir esta questão com o povo,abertamente,em todas as oportunidades e instâncias,nomeadamente na Assembleia da República e nas campanhas eleitorais.
Vão ter brevemente ,por altura da revisão constitucional,a possibilidade de propor a extinção das forças armadas e dar início a essa luta,duma forma séria,que não se fique por meia dúzia de linhas envergonhadas,nos programas dos partidos e que nunca vêm à liça nas campanhas eleitorais.Por que não propõem um referendo?
Seria muito bom,por educativo e elucidativo,estudar e divulgar amplamente,o exemplo dum pequeno país, a Costa Rica.Desde 1949,a sua Constituição proibiu a existência de forças armadas.A partir daí, tem sido um oásis de paz,numa das zonas mais violentas e conturbadas do mundo. Acham pouco?














quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Cimeira da Nato em Lisboa

A Nato nasceu para travar a hipótese de expansão de revoluções socialistas na europa ocidental e eventual apoio militar da União Soviética.Esta reagiu criando com os países de leste sob a sua influência,uma organização militar idêntica,o Pacto de Varsóvia. Foi a corrida às armas ,dum lado e doutro.O mundo foi dividido em duas áreas de influência,os conflitos armados multiplicaram-se por todo o mundo,as carnificinas sucederam-se.Os povos passaram a ser meros joguetes,do jogo táctico e estratégico destes dois actores. O equilíbrio imperou à custa do terror nuclear,ainda hoje bem presente,não obstante ter amenizado,em virtude de alguns tratados de redução do arsenal nuclear.
Com o fim da União soviética e Pacto de Varsóvia seria de esperar a dissolução da Nato.
Pelo contrário,com Busch,a Nato atribuiu-se uma missão mais ofensiva e num espaço muito mais alargado.Por isso estamos envolvidos em várias guerras sem sentido e perdidas,nomeadamente no Afeganistão e Iraque.Portugal deu uma ajuda no alargamento do raio de acção e tem envolvido militares nessas guerras.
Portugal tem o complexo da pequenez ,o que o leva a armar-se em forte.Tinha que estar com os grandes e mostrar-lhes que somos bons ou melhor que eles a jogar à pancada.Tudo e sempre em nome da paz,é claro.Os políticos que nos (des)governam morrem de saudades dos tempos em que fomos por esse mundo fora com baionetas e canhões massacrar povos indefesos e mais modernamente,das guerras coloniais.Além de que ,é necessário manter ocupados centenas de generais e oficiais superiores,fartos de jogar o king,sueca ou dominó e aturar as mulheres em casa,ano após ano.Militar gosta de missões no estrangeiro para coleccionar medalhas,compôr a conta bancária e,
por que não,pôr à prova a sua virilidade com carne fresca.
É que Portugal já não é invadido militarmente há precisamente duzentos anos (desde as invasões napoleónicas) e as colónias já lá vão há 37.
A menos que o João Jardim (o tal da Madeira) num acesso de raiva anticolonialista e anticubana se resolva invadir o "continente" (nós),não se vislumbram no horizonte próximo ou longínquo quaisquer outros potenciais agressores deste rectângulo.
Por tudo isto(e o muito mais que por agora não tenho pachorra para continuar a escrever),daqui desta varanda 3º andar,solidário com os que vão manifestar-se em Lisboa,lanço o meu grito:abaixo a Nato,abaixo a Nato.Não à guerra,Sim á Paz.Portugal fora da Nato.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Legalizar as drogas é a única forma de combater o narcotráfico

Está visto e revisto que o combate ao narcotráfico movido na Europa ,EUA e noutras paragens é ineficaz,dispendioso,hipócrita e,pior que tudo,perverso.
Ineficaz porque não evita a entrada de drogas e o seu consumo.
Dispendioso porque mobiliza as forças policiais e tribunais,constantemente, distraindo-os de missões realmente importantes.As verbas gastas são incalculáveis para resultado nenhum e poderiam ser aplicadas de mil e uma formas mais úteis.
Hipócrita porque as verdadeiras razões ou são puramente moralistas ou escondem as verdadeiras razões,que não são nada recomendáveis,como seja por exemplo, a de proteger as drogas nacionais.
Perverso porque mais não faz que incentivar e proteger a corrupção e os corruptos,por um lado,e por outro deixar os consumidores completamente desprotegidos e à mercê de todo o tipo de falsificações, traficantes e chantagistas.
E como se isso já não bastasse,simples consumidores são tratados como criminosos,julgados,presos e marginalizados.São os jovens ,os filhos de todos nós,que a lei finge proteger,as maiores vítimas.
É necessário e urgente pôr fim a isto.
Nos textos anteriores terá ficado claro que as drogas mais consumidas no civilizado Ocidente,nomeadamente em Portugal,o álcool em primeiro lugar e o tabaco,são piores e fazem mais vítimas que as drogas que se combatem.
Basta de moralismo balofo e de baixo quilate.
Proibição e combate como tem sido feito,é o que os narcotraficantes e corruptos querem,é isso que lhes proporciona lucros fabulosos,é isso que lhes dá poder para corromperem as mais altas e baixas hierarquias do estado e insuspeitos cidadãos.É isso que lhes dá o poder de matar,quando alguém lhes tenta barrar sériamente o caminho ,o negócio.
Retire-se-lhes o fabuloso lucro e os narcotraficantes,uns deixarão de existir outros reconverter-se-ão em simples contrabandistas de tabacos,até encontrarem outras formas mais rendosas.
O verdadeiro combate passa pela legalização das drogas,pela regulamentação completa do seu circuito : produção,comercialização e consumo.Como desde há séculos vem acontecendo com o álcool e tabaco.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Portugal e as drogras ...

A revista médica The Lancet publicada no dia um de Novembro em Inglaterra, divulgou a avaliação efectuada pelo Comité Científico Independente sobre as Drogas no Reino Unido,da perigosidade das drogas,combinando os danos individuais e sociais de cada uma delas.
A nova classificação,numa escala de 0 a 100 ,em que 0(zero)é pouco perigoso e 100(cem) muito perigoso, é a seguinte :
--álcool-------------------72
--heroína------------------55
--cocaína------------------27
--Tabaco-------------------26
--anfetaminas--------------23
--cannabis-----------------20
--metadona-----------------13
--ecstasy e esteróides-----9
--cogumelos mágicos--------5

O psiquiatra Domingos Neto,ex-director do Centro de Alcoologia de Lisboa,comentou esta nova classificação nestes termos:
" O álcool é muito mais perigoso do que se imagina.É responsável por cerca de 40 doenças,além de muita violência ,conflitos e perturbação da ordem pública.Há imensas forças a favor do consumo dos jovens,um lobby fortíssimo que protege as bebidas alcoólicas.A dependência do álcool continua a ser muito tolerada em Portugala".,onde para um máximo de entre 70 a 80 mil toxicodependentes pesados,existem cerca de 500 mil pessoas com síndrome de dependência de álcool. O álcool é a cocaína da Europa".

( informação e excertos colhidos no Público de 2 Nov.2010)

sábado, 6 de novembro de 2010

Cada civilização,cada país,protege as suas drogas

Vivemos em sociedades em que continua a imperar o moralismo.Governos e cidadãos equivalem-se na hipocrisia.Virtudes públicas,vícios privados.Quanto mais viciados,mais mais críticos do vício em público.
Se fôsse só em relação aos vícios própriamente ditos,ainda vá que não vá,poderia compreender-se.Mas na verdade esta postura estende-se a práticamente a toda a forma de estar em sociedade. Nos hábitos,nos costumes,na religião,na profissão,na família,na economia ,na política,em tudo.
Nas sociedades democráticas,por dependerem dos votos,até os políticos mais progressistas e presumidos revolucionários fingem concordar com o que não concordam ou calam-se,para não inquietarem os eleitores mais retrógrados,que por sinal nunca votam neles.
Em Portugal a pega de caras,isto é, pegar o touro pelos cornos,é exclusivo dos forcados,por sinal machistas e tradicionalistas até dizer chega.A pega de cernelha (contornar o assunto) é a nossa especialidade.
Onde é que esta conversa já vai!
O que eu queria dizer é tão simples quanto isto:o combate que se faz ao narco tráfico no Ocidente,nomeadamente em Portugal,visa em primeira linha proteger proteger da concorrência os produtores de álcool,a agricultura e industria vinhateira,cervejeira,licoreira e derivados ,tradicional e preponderante nas economias destes países.Já o Salazar dizia que produzir vinho era dar de comer a um milhão de portugueses.Imagine-se o bonito que seria proibir a plantação de vinhas em Portugal,Espanha,França,Itália e por aí fora.O combate ao narco tráfico só remotamente visa proteger os consumidores de drogas importadas.
Em última análise,o combate ao tráfico de droga é também uma forma de fomentar e proteger a corrupção,o enriquecimento ilícito,todo o tipo de negócios ilegais -armamento, por exemplo- protecção que chega ao extremo de lhes propiciarem refúgio seguro para o dinheiro (off-shores) e sem pagamento de impostos.
O álcool é a mais perigosa das drogas.Pior que o crack,heroína,cocaína,tabaco etc. etc..etc.. Mas o álcool é droga nossa,logo,é boa.Tão boa que até sobe ao altar !
(É sobre isso que escreverei no próximo texto.)

domingo, 31 de outubro de 2010

Curiosidade sobre o mês de Outubro de 2010

João Paulo e ...relevaram:

Um facto interessante sobre este mês de Outubro é que tem 5 sextas-feiras, 5 sábados e 5 domingos.

Isto só acontece uma vez em cada 823 anos.

Informação colhida no blogue do Rogério:Unir todo o concelho de Alcobaça.

Vamos apontar na agenda.Em 2833 cá estaremos para ver se bate certo.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

24 horas por dia, já !

Este governo é incansável. O ministro das finanças deu o exemplo(atende o telefone 24 horas por dia) e vai daí o ministro da economia seguiu-lhe as passadas.O apoio às micro,pequenas e médias empresas não pára de aumentar.O pequeno comércio rejubila.Não mais terá de passar pela agonia da morte lenta.O golpe de misericórdia chegou finalmente.
Os desempregados (2000 dizem )fervem de impaciência na expectativa do novo emprego e do salário mínimo,cobrado por recibo verde que sempre é mais chique.
O consumidor festeja,aliás,passou o dia de ontem a festejar.Já não era sem tempo,até que enfim,tem (temos) as grandes superfícies abertas até à meia noite de Domingo.
Já temos tempo e lugar para comprar alegremente.Ainda assim ,o sr. ministro ficou aquém do desejável (claro que ninguém é perfeito).O ano que aí vem é bestialmente promissor de consumos alargados.Até à meia-noite teremos tempo de gastar o nosso dinheiro?
Senhor Primeiro,ouça-nos,por favor.Por favor,se quer que o país ande prá frente deixe lá os pobres coitados dos belmiros e jerónimos trabalhar à vontade e a nós, ajudá-los a sair da cepa torta,que bem necessitados estão.
Queremos,isto é,exigimos as grandes superfícies abertas 24 horas por dia .JÁ !

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Moi-même com Monsaraz ao fundo



fotografia de: M.ISA - Agosto 2010

Finalmente,Ministro da Defesa manisfesta algum bom-senso

O dito anunciou que durante o ano de 2011 não serão renovados os contratos a 3000 militares das forças armadas e o programa de reequipamento destas, será suspenso até 2013.
É pouco e de má vontade,ditado pelas dificuldades financeiras.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O Prémio Nobel da Literatura e o combate ao narcotráfico

Mario Vargas Lhosa ,peruano,é o Nobel de Literatura 2010.
Já foi candidato a Presidente da república do Peru.Em política reclama-se de conservador,ao centro.Grande admirador de Lula da Silva,Presidente do Brasil,não disfarça o seu ódio aos irmãos Castro de Cuba ,a Hugo Chavez da Venezuela e Ahmadinejad do Irão.
Este homem culto,polémico e frontal conhece bem a América Latina,os E.U.A. onde actualmente reside e grande parte do mundo.
O Nobel colocou-o " No centro do mundo ",título do artigo-reportagem em Porto Alegre,Brasil, da jornalista Alexandra Lucas Coelho,no P2 do Público ,do dia 16 de Outubro 2010.Vale a pena ler,como tudo o que ela tem vindo a escrever.
O que verdadeiramente me chamou a atenção,por inesperada,vinda deste prémio Nobel,foi a sua afirmação desassombrada quanto à forma de combater o narcotráfico:legalização das drogas.
Que me lembre,até hoje,ninguém que esteja ou tenha estado " no centro do mundo " o disse de forma tão radical e com tanta clareza.Se outro mérito não tivesse,só por esta afirmação já terá valido a pena ser-lhe atribuido o Nobel.
Transcrevo,com a devida vénia, do texto da Alexandra esta pequena passagem:
" O mundo descobriu que o narco era um estado dentro do estado,que pode lutar de igual para igual,e isso encheu o México de sangue",resume Vargas Lhosa. " E é uma luta que se pode estender à América Latina.Estou a favor da legalização das drogas.Creio que é a única forma de acabar com a delinquência.É a única que ainda não se utilizou.A repressão não contribuiu para diminuir o tráfico nem o consumo,pelo contrário.Investem-se somas cada vez mais astronómicas e consumo e tráfico continuam a aumentar.Há que investir na propaganda sobre os danos causados pela droga e na recuperação de toxicodependentes.E terá de haver um acordo entre países produtores e consumidores para a legalização das drogas.O narcotráfico é um risco que pode correr toda a América Latina e pôr em causa a democracia".

O Prémio Nobel da Paz e o PCP

A atribuição do prémio Nobel da Paz ao chinês Liu Xiaobo mereceu do PCP,um comunicado em que considera :Na linha da atribuição do Nobel da Paz 2009 ao Presidente dos EUA-Barack Obama,é mais um golpe na credibilidade de um galardão que deveria contribuir para a afirmação dos valores da paz,da solidariedade e da amizade entre os povos.
Independentemente do mérito relativo do laureado,o facto de se encontrar a cumprir uma condenação de 11 anos de prisão por reclamar democracia e liberdade de expressão,num país tão poderoso como é a China (dita socialista,mas na verdade de duplo capitalismo (capitalismo de estado e capitalismo selvagem ),não denigre o prémio que lhe foi atribuido.
A histórica e autoproclamada coerência de princípios do PCP,com posições contraditórias ,uma para consumo interno, outra em defesa de regimes socialistas que de socialistas só já têm o nome, é que sofre mais um rude golpe na sua credibilidade.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Mais armas , mais dívida , mais desemprego , menos economia ,menos saúde,menos educação,.....

A loucura é uma doença persistente e não pára de aumentar nos loucos que nos (des)governam ,pelo menos desde a década de 80 ,para não dizer desde sempre,que eu me lembre.PS,PSD,CDS, os partidos do chamado arco da governabilidade,já todos tiveram nestes últimos trinta anos a pasta da Defesa.Cada qual destes loucos,primou por ser mais louco que o antecedente.Só pensam em armar-se.Em cada esquina do planeta um inimigo.Provavelmente,todos eles sofrem de impotência crónica.Casos de psiquiatria ou por aí perto.
Por sua vez o PCP e o BE,não se afoitam nas críticas às políticas da Defesa.Portugal fora da Nato e pouco mais ou mesmo nada.Nostalgia do 25 de Abril,como se os militares tivessem feito algo mais que pagar a enorme dívida que tinham para com o povo,desde a instauração da ditadura salazarista.Esquecem-se de que as actuais forças armadas já nem vestígios têm ,das que fizeram a revolução dos cravos. Pelo menos o PCP e o BE,têm a obrigação de discutir abertamente,dentro e fora dos partidos,a necessidade de termos forças armadas,no actual contexto nacional e internacional.Este é um dos tabus de esquerda ,que urge quebrar,sem medo nem preconceitos ideológicos, moralistas e patrioteiros.
Vem tudo isto a propósito,de mais uma recente notícia que parece ter passado despercebida nos meios políticos e comentadores dos mesmos.
O Estado recebeu o primeiro de cinco aviões P3 ,em segunda mão,que custaram 200 milhões de euros.
O ministro da defesa,Santos Silva,justificou "o vultuoso" investimento com a necessidade de executar missões de luta anti-submarina,patrulhamento marítimo,busca e salvamento,vigilância terrestre,controlo de tráfico de drogas e redes de imigração clandestina e e missões que as forças armadas executam no estrangeiro.
O ministro lembrou também o investimento de quase 500 milhões de euros que estão a ser aplicados na modernização dos caças F-16,bem como da aquisição de 12 aviões C-295 e 12 helicópteros EH 101. Também os aviões C-130 vão estar sujeitos a um processo de modernização e já se analisa a sua futura substituição.
Ao todo,mais de 1500 milhões de euros estão a ser investidos na modernização da FAP.Pouco mais de um terço deste montante será aplicado até ao final de 2010,salientou o ministro. Assim se vai o nosso dinheiro,para isto nos pedem cada vez mais sacrifícios,mais fome, mais desemprego,menos saúde,menos educação,menos justiça,mais corrupção,mais desperdício,mais ....,menos ...,mais ....,menos ....
P.Q.O.P.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Às armas, às armas !

No rescaldo das comemorações do centenário da República, convém fazer algumas alterações num dos seus símbolos,o hino nacional,a Portuguesa.
Um outro símbolo,o escudo,já foi substituido pelo euro.
A bandeira nacional é o único que mantém actualidade.
Porquê mudar ou alterar o hino?
Porque a sua letra está desactualizada em relação ao desígnio histórico propugnado para o presente e futuro da humanidade,consignado na carta das nações unidas,na declaração universal dos direitos humanos,no contexto político europeu e nacional pós segunda guerra mundial e pela vontade dos povos de todo o mundo. O futuro que se pretende é o da resolução dos diferendos entre estados de forma pacífica,o maior objectivo mundial é a PAZ.Isto porque a guerra tem sido e continua a ser ,o maior flagelo da humanidade,a causa maior de todos os outros males.
O hino nacional nasceu num contexto nacional e internacional de guerra quase permanente e generalizada.( A participação de Portugal na 1ªGrande guerra mundial,foi-nos de tal maneira desastrosa,que levou a curto prazo ao funeral da República e implantação da Ditadura salazarista.)
O hino nacional apela à guerra. " Às armas, às armas " " contra os canhões marchar,marchar ".
O hino nacional com estes apelos é antipedagógico, especialmente para a juventude .
E é uma desculpa histórica e um incentivo para os nossos atávicos políticos, continuarem na senda duma política militarista, irresponsável,ridícula e ruinosa para Portugal,ruinosa para os Portugueses.

sábado, 2 de outubro de 2010

A dita regeneração urbana de Alcobaça ( V )

A primeira pergunta que merece uma resposta é :há necessidade de requalificar esta parte de Alcobaça? Sim,sem dúvida.Que requalificação? Por ordem de importância e urgência:
1- refazer e alargar os passeios onde fôr possível,aliás não só os daquela zona,mas de grande parte de Alcobaça,especialmente os de maior inclinação.O piso em pedra(calçada à portuguesa)está muito irregular e polido.Um autêntico quebra ossos, o que tem originado frequentes quedas e ferimentos graves.
2- recuperação exterior e interior do mercado.Necessita de melhores condições de higiene,funcionalidade e adaptação a outas actividades.
3- remodelação do parque de estacionamento situado entre o mercado e a rua Brilhante Martins,reservando espaço suficiente para autocarros de turismo.Implantar no local estruturas de abrigo das condições climáticas adversas e outras comodidades,nomeadamente sanitários.
4-Nas ruas limítrofes do jardim da Alameda substituir algumas árvores,especialmente plátanos que existem em quantidade excessiva e originam problemas de saúde,nomeadamente respiratórios.
No jardim própriamente dito,com ou sem supressão da rua Judite Vasco,eliminar várias sebes e canteiros de arbustos de modo a torná-lo num espaço mais aberto.
Necessita de sanitários e de melhores condições para o funcionamento dum café-esplanada.
5-Disciplinar o estacionamento em toda a zona,com sinalização de trânsito adequada,marcação dos lugares no pavimento,horário de cargas e descargas.
6- o anfiteatro não é cómodo nem funcional.
É necessário dotá-lo de cobertura movível(?) e infraestruturas eléctricas,no mínimo.

Tudo o resto que o projecto contempla ou não é urgente nem o local adequado(novos paços do concelho e parque de estacionamento subterrâneo)ou é mesmo prejudicial(supressão de parte das ruas Manuel da Silva Carolino e Dr.João Lameiras Figueiredo, bem como a construção de duas novas rotundas).
Espera-se desta câmara o bom senso e a humildade democrática de submeter o projecto à discussão pública.Não o fazer ,depois da polémica e nefastas consequências das obras na zona histórica,seria imperdoável.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

A dita regeneração urbana de Alcobaça (IV)

A rotunda existente em frente da câmara municipal,funciona e bem,como ponto de recepção e distribuição em todas as direcções,do trânsito das Avenidas Manuel da Silva Carolino e Dr, João Lameiras de Figueiredo.Eliminar estas ruas e rotunda é destruir o que está bem feito,sem se ganhar nada em troca,antes pelo contrário.As duas projectadas rotundas -uma junto ao centro comercial Gafa,outra no entroncamento da Alameda do Mercado com a rua de Olivença - só irão complicar o trânsito,em vez de o facilitar.Para além do mau gosto urbanístico que é o de juntar várias rotundas -na rua de Olivença já são duas - a curtíssima distância umas das outras.
A zona que se pretende requalificar é de construção recente,funcional e agradável. Com muitos espaços verdes,com muitos lugares de estacionamento à superfície,não pagos,com trânsito intenso mas relativamente fluido.
O dito projecto de regeneração em vez de requalificar vai desqualificar,excepto eventualmente do ponto de vista paisagístico,pois os jardins existentes pouco serão mexidos e de acordo com o projecto,serão um pouco aumentados.
O que de forma alguma justifica a supressão de parte das três ruas já referidas, com a consequente complicação do trânsito.
Aquela que é hoje a melhor zona comercial da cidade e mais frequentada ,se o projecto vier a realizar-se,passará a ter um trânsito de passagem,com poucos lugares para estacionamento e a pagar.Não vai apetecer parar. Não vai apetecer pagar estacionamento para fazer pequenas compras breves,não vai apetecer fazer grandes compras demoradas,com o relógio do estacionamento a contar.Não vai apetecer deixar o carro estacionado longe.Os hipermercados,esses sim,vão ter mais clientes.O comércio e moradores vão sofrer na bolsa e de que maneira.
Não fôssem os serviços públicos lá existentes e o número elevado de habitantes , esta zona da cidade teria a mesma sorte da zona histórica com as obras no largo do mosteiro.
Será que a câmara não aprende com os próprios erros ?
No próximo texto,em jeito de balanço final,darei a minha opinião sobre o que faria e o que não faria deste projecto. ( continua)

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

A dita regeneração urbana de Alcobaça (III)



Como poderá verificar-se, observando na figura que nos mostra o projecto na sua totalidade, na zona de intervenção o trânsito entre o norte da cidade e o sul-nascente, bem como todo o trânsito local,confluirá e passará a fazer-se por duas únicas vias,a rua Alameda do Mercado e a Rua de Olivença(que começa no hospital e vai em direcção à Nazaré).
A Alameda do Mercado terá estacionamento nos dois lados e circular-se-á nos dois sentidos.Para além do trânsito local a ela confluirá trânsito vindo do norte e sul da cidade e do concelho que circule pela rua de Olivença,vindo pela Avenida (rua)Manuel Carolino(a da rodoviária)e da rua no topo poente do Mercado(Norte do concelho e Nazaré).
Qualquer destas vias tem já trânsito intenso,especialmente a Alameda do Mercado, actualmente apenas com circulação no sentido ascendente.
Se levarmos em consideração que esta zona funciona como centro de Alcobaça,com grande densidade populacional,onde se localizam a maior parte dos serviços públicos,se concentra a maior parte do comércio e outras prestações de serviços,
caso este projecto se concretize,o trânsito nesta zona da cidade passará inevitávelmente a ser muito complicado,conflituoso,a provocar grandes demoras e engarrafamentos.Precisamente o contrário do que a Câmara afirma no prospecto em que dá a conhecer o projecto (apenas distribuiu alguns exemplares a alguns deputados municipais!!!).
Outras consequências de não menor gravidade,são previsíveis.
Será essa a reflexão do próximo texto. (continua)

terça-feira, 28 de setembro de 2010

A dita regeneração urbana de Alcobaça (II)

Entre o mercado e a rua Brilhante Martins,onde hoje se situa um parque automóvel,que se prevê seja suprimido,situar-se-á um parque para autocarros de turismo.Solução que me parece excessiva,dado que raramente se juntam no local mais que quatro ou cinco desses autocarros e por períodos de cerca de uma hora.
Entre o mercado e o campo de futebol a intervenção nos jardins já existentes não é significativa.Limita-se à reparação de algumas infra-estruras existentes e à construção de outras ,tipo café-esplanadas.
O que do meu ponto de vista é de todo inaceitável no projecto,é a supressão parcial de três ruas: Av. Manuel de Silva Carolino,Av. Dr.João Lameiras Figueiredo e rua Judite Neves Vasco.Esta última não tanto,mas as outras duas são vias são estruturantes do transito automóvel,absolutamente necessárias à fluidez do mesmo.
O que está projectado é fazer dessas vias jardim!Jardim na Av.Manuel da Silva Carolino entre o Centro Comercial Gafa e o edifício Câmara !!!Jardim na Av.Dr. João Lameiras Figueiredo!!! A rua Judite Neves Vasco,na parte situada entre o jardim do tribunal e o que se situa imediatamente abaixo(e só nessa parte),por ter um trânsito muito menos intenso e mais localizado,ainda pode compreender-se e aceitar-se a sua supressão.
O objectivo da projectada supressão destas ruas é ajardiná-las,ligando os três jardins já existentes no local.Ganhar-se-iam assim ,cerca de 500 a 1000 metros quadrados de jardim a mais.O que pouco ou quase nada acrescenta aos já existentes.
Em contrapartida,o transito rodoviário em Alcobaça sofrerá e de que maneira .

É o que me proponho analisar no próximo texto. (continua)

sábado, 25 de setembro de 2010

A dita regeneração urbana na cidade de Alcobaça( I )

A Câmara de Alcobaça acaba de apresentar o seu projecto de regeneração urbana da cidade,na sessão da assembleia municipal que terminou há pouco mais de uma hora.
Trata-se,resumidamente,de proceder a uma intervenção urbanística no espaço que vai do mercado municipal até ao campo de futebol,vulgarmente conhecido por Alameda do Mercado.
A maior parte desta zona da cidade é de construção relativamente recente,com trinta anos e menos.O mercado é um belo edifício(embora mal conservado),salvo erro da autoria do arquitecto Korrodi e classificado.Necessita de limpeza exterior e remodelação interior,para o tornar mais higiénico,funcional e utilitário.
O projecto ora apresentado propõe que sobre ele se construa mais um piso,para nele funcionarem a Câmara Municipal e respectivos serviços.Proposta esta,no mínimo, questionável e,eventualmente de mau gosto.A Câmara é proprietária de vários e extensos terrenos,um deles a 150 de distância,na Cova da Onça,para onde já esteve prevista a construção dos novos paços do concelho.Porquê e para quê amomtoar edificios sobre edifícios,numa zona das mais movimentadas da cidade?
No espaço exterior do mercado e adjacente a este,projecta-se construir um parque auto subterrâneo com aproximadamente 400 lugares.Isto,se houver algum particular que o construa e o venha a explorar,não se sabe por quantos anos,em que condições e preços.
O que se ficou a saber, foi que os actuais lugares de estacionamento à superfície em toda a zona de intervenção,na sua maioria deixarão de existir e os poucos que ficarem,bem como os das ruas próximas,num raio de 100 a 200 metros, terão de ser pagos. (continua)

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Regeneração (?) urbana em Alcobaça ?

Dicionário de Português
2ª edição
Porto Editora

regeneração -s.f. -
acto ou efeito de regenerar;reabilitação; reforma moral.

regenerado -adj. -
que se regenerou;reabilitado moralmente; corrigido.

regenerador -adj. e s.m. -
que ou aquele que regenera;designativo de um partido
político no tempo da monarquia em Portugal.

sábado, 11 de setembro de 2010

Pedofilia - na Bélgica

Uma comissão de inquérito que nem sequer chegou ao fim da sua investigação,apurou:
padres e bispos da igreja católica ,abusaram de centenas de crianças,algumas com dois anos de idade.
Entre as vítimas,cerca de cem são femininas e dois terços(a notícia foi dada assim) ou seja, duzentos são do sexo masculino.
Treze das vítimas,acabaram por se suicidar.

Estes criminosos frequentavam a casa das vítimas,onde eram recebidos com toda a cortesia e muitas vezes convidados pelos pais a tomar algumas refeições.

A notícia televisiva(10 de Setembro de 2010,salvo erro na SIC) não informou se algum dos criminosos foi ou será levado a julgamento.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Pedofilia - processo Casa Pia

Ao fim de oito anos de processo-cinco a seis deles em julgamento- foi lida a sentença.
Processo atribulado e atribiliário do princípio ao fim,os arguidos ainda não têm uma cópia da sentença,lida há uma semana !
Justa ou injustamente,todos condenados.Os recursos prometem mais uns anos de folhetim.
Justiça à portuguesa.
Com a sentença condenatória as boas consciências respiram de alívio.Já podem dormir descansadas,confiantes,as nossas crianças estão protegidas,as instituições funcionam,a justiça acontece,não há crime sem castigo.
Pura ilusão.
A justiça funciona quando funciona,é sonolenta e arrastada,trôpega e quantas vezes injusta.
Neste caso,ficaram de fora,sabe-se lá quantos criminosos que ao longo de dezenas de anos ,porventura todo o que que dura a instituição,se banquetearam alarvemente com as vítimas da orfandade e da miséria.
Pior que tudo isto ,é que a raposa continua no galinheiro e quantas vezes,são os próprios familiares os abusadores.Ou os pais a levar e confiar cegamente os filhos aos seus predadores,não obstante ser conhecido o seu longo histórico de hipocrisia e devassidão sem limites.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Fim de férias

Recomecei a trabalhar com a expectativa de outra pausa em breve,mais dilatada e duradoura,espero.Este recomeço tem o sabor agridoce de voltar ao trabalho numa 5ª feira, depois dum feriado na 4ª.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Alexandra Lucas Coelho

A jornalista - repórter do Público (P2)

O prazer da viagem e da descoberta,a côr,a visão panorâmica e o detalhe,os sons,os paladares,os cheiros, as texturas e os volumes,o passado e o presente,a história,as pessoas ,as ideias e os sonhos,as pessoas e o quotidiano,o que está à vista e o que está oculto por séculos de poeira, indiferença, preconceito, discriminação, racismo,
políticas deliberadas, colonialismos e neocolonialismos, a miséria e a grandeza humanas, tudo isto e muito mais nos é servido em bom português, com a aparente naturalidade de quem escreve um diário para gozo próprio,mais que por dever de ofício.
A Alexandra revela,observa,regista e transmite.
A nós,companheiros de viagem a Portugal, ao Médio Oriente,África do Sul,México e outras paragens, delicadamente, deixa-nos o trabalho de julgar.E uma boa surpresa :
afinal,ainda há jornalistas-repórteres em Portugal.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

16 de Agosto

Astronautas

Astronautas,vogamos pelo Tempo,com a falsa noção de segurança ,de termos os pés assentes em Terra.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Ao Presidente da Câmara de Alcobaça

A propósito de um hospital novo

Foi com alguma surpresa que ouvi noticiar que o sr.Presidente se propôs oferecer ao Ministério da Saúde,o terreno onde está implantado o Mercoalcobaça,para um hospital novo,isto é,a construir de raiz.
A surpresa não foi só minha pois ,ao que me é dado saber,os vereadores da oposição -PCP e PS- também vieram a conhecer tal proposição,primeiro pela rádio local e só depois em reunião de câmara.
Logo por aqui se vê,quanto as decisões políticas da câmara padecem de falta de diálogo e práticas democráticas.É que,tendo V.E. sido eleito por maioria absoluta,nem por isso os vereadores da oposição deixam de representar quarenta e tal por cento dos eleitores. V.E. e o seu partido ganharam é certo,mas os que ficaram em minoria não deixaram de ser alcobacenses e cidadãos tão legítimos e com tantos direitos,quanto aqueles.A menos que V.E. se julgue e actue apenas
como presidente dos que o elegeram. Pessoalmente,não acredito, isto é,não quero acreditar.
As questões aqui que me proponho expôr interrogativamente,são muito simples,já que um hospital melhor que o que temos,todos os alcobacenses o desejam e quanto a isso não parece haver discórdia.Embora eu não acredite que venha a ser uma realidade nos próximos 10,15 ou 20 anos,por razões que ultrapassam o âmbito local.Vamos às questões:
Primeiro:
de que hospital estamos a falar? Com que valências? que cuidados de saúde vai prestar? os mesmos,que são já tão poucos e com tendência a ser cada vez menos?Ou um hospital com mais especialidades,mais profissionais e mais apetrechado técnicamente?
Esta é a verdadeira questão,o edifício em si,sendo relevante,não é o fundamental.
Segundo:
V.E. propõe-se doar o terreno.
Se essa é ou vier a ser uma condição decisiva para a construção dum novo hospital,que não seja apenas mais um edifício novo,estamos de acordo.Parece-me no entanto,que V.E. cedeu antes de a batalha começar,com a ansiedade de mostrar serviço,obra feita,betão à vista.Esqueceu-se das contrapartidas prometidas pelo anterior governo,por o novo aeroporto deixar de vir a localizar-se na OTA,como durante muitos anos esteve previsto?
Esqueceu-se de que o actual governo,via Ministério da Agricultura,para ceder o Museu do Vinho à câmara,está a a exigir que esta lho compre? No mínimo,tentou uma permuta?
Terceiro:
independentemente da questões anteriores,o sr.Presidente parece ter-se precipitado ao oferecer o terreno do Mercoalcobaça.Senão vejamos:tirando o parque automóvel e ajardinado que estão livres,no resto do terreno estão construidos os edifícios do Merco,com uma área coberta de três ou quatro mil metros quadrados(cálculo a olho e à distância,penso que peca por defeito).Construção recente,vinte anos no máximo.Entre área coberta e descoberta,rondará um hectare.Tudo no valor de alguns milhões de euros.O edifício do Merco,a seguir ao mosteiro,é a maior área construida na freguesia de Alcobaça.A única que acolhe eventos com milhares de pessoas.Destruí-lo,afigura-se uma má ou mesmo muito má solução.Terá a câmara alternativa disponível para substituir o Merco? Onde, quando e quanto lhe custará consegui-la ? Não está a câmara financeiramente no fio da navalha? Caso o hospital venha a ser uma realidade naquele local,não será também necessário deslocalizar a feira? Para onde,quando e a que custo?
Finalmente ,mas não menos importante:
será o melhor local para um hospital? Está em construção a estrada que ligará, a Nazaré à estrada nacional nº1,que passa pela Fervença,Boavista com variante a sair dentro de Alcobaça,junto à Acessor( a duzentos ou trezentos metros do actual hospital).Não haverá próximos dessa via rápida,terrenos camarários ou particulares convenientes ao hospital e muito mais baratos? Não será inclusivé,de repensar a hipótese de fazer obras de remodelação no actual hospital?
Sr. Presidente da Câmara de Alcobaça:
Não duvido da sua boa vontade para resolver situações que tirem Alcobaça deste aparente beco bem estreito,em que se encontra.Alcobaça está económica e socialmente sem vitalidade,envelhecida,quase moribunda.Mais parece,desde há anos,um velho carro sem motor e sem condutor.O sr. Presidente ainda é jovem e espera-se de si algum arejamento de ideias e sadio relacionamento com os munícipes.A princípio revelou alguma abertura .Actualmente(e decorreram apenas alguns meses sobre a sua eleição)começa a parecer-se com o seu antecessor,fechado na sua concha partidária,egocentrista,alheio às opiniões e contactos com a população,avesso à discussão democrática com os representantes da oposição no executivo camarário e assembleia municipal.
O hospital já levou o seu antecessor,a fazer a compra do terreno em Alfeizerão, previsivelmente ruinosa para as finanças de Alcobaça,como veio a acontecer,não obstante ter sido repetidamente alertado.
O sr. ainda está a tempo de não trilhar o mesmo caminho e é bem fácil:basta convencer-se de que não é o único dono da verdade,de que não é dono de Alcobaça e que os bens,dinheiro e interesses públicos devem ser geridos com muita prudência e ponderação.

Um país de governantes loucos

Primeiro foi o Guterres a comprar aviões para a força aérea que nunca chegaram a ser desencaixotados e equipados.Ainda bem,limitou-se o estrago financeiro.
Depois foi a tripla das tristes figuras,Durão,Manuela Ferreira Leite e o inevitável Paulo Portas,sempre armado em bonaparte,a irem ás compras:dois submarinos,140 carros de combate (os Pandur) e outras ninharias,que custam milhões de milhões de euros.
Os carros de combate,fabricados na Áustria,ainda não chegaram ,estão atrasados.Que pena,estão a fazer-nos uma falta danada,nem percebo como temos sobrevivido sem eles.
Haverá alguém no governo com o suficiente bom senso para cancelar a encomenda?
Por favor,expliquem-nos onde estão os ferozes inimigos externos de que precisamos defender-nos,armados até aos dentes?
Para que precisamos de forças armadas?
Não nos venham é com as habituais balelas do combate ao terrorismo e defesa das águas territoriais.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Freeport - Ministério Público em roda livre

O M.P. é uma instituição hierarquizada.Mas não parece.Pelos vistos,cada procurador seu feudo.O Procurador Geral(autoproclamado Rainha de Inglaterra) não manda nada,reconhece.
Os seus subordinados não o reconhecem,provávelmente por não ser oriundo das fileiras do M.P. mas da Magistratura Judicial.O corporativismo volta a estar na moda ,se é que alguma vez deixou de o estar.
Os procuradores que investigaram este processo,em dada altura disseram-se pressionados(pelo colega Lopes da Mota).A quem se foram queixar? Ao superior hierárquico? Não. Ao sindicato. E este a quem comunicou tais suspeitas? Ao Procurador Geral? Não. Ao Presidente da República.
O mínimo que se pode dizer é que se trata de uma hierarquia desconjuntada,minada,anárquica, desconfiada,paralela,de conveniência.
O despacho de arquivamento e acusação proferido pelos dois procuradores(os mesmos que antes se disseram pressionados),decorridos seis anos de investigação,já ouvimos catalogá-lo de: insólito,preverso,surpreendente,aberrante,incompetente,doloso e sei lá que mais.O sindicato diz que é transparente.Na verdade é tudo isto e muito mais.
De facto é transparente:denuncia a falta de confiança dos procuradores nos seus superiores hierárquicos;lança sobre eles a suspeita de que não puderam levar a investigação até ao fim porque eles não o permitiram ;foram forçados, por falta de tempo, a arquivar o processo em relação a arguidos suspeitos do crime de corrupção;
não fizeram dezenas de perguntas(que escreveram no despacho) a pessoas -1º ministro ,ministro da presidência e outros,que nem arguidos chegaram a ser,por falta de tempo(desculpa esfarrapada,infantil);
mantiveram e reforçaram sobre eles as suspeitas com que ao longo de seis anos, a comunicação social os fritou, com o apoio indispensável vindo do interior da investigação,com violação do segredo de justiça (o que é crime),a conta-gotas.
As lutas pelo poder num regime democrático são legítimas quando respeitam a lei.
Mas não o são ,quando a violam de forma tão descarada.
Principalmente quando são os cidadãos as vítimas da incopetência,da violação da lei,
por parte de quem tem o especial dever de a respeitar e fazer respeitar.
O M.P. não se respeita e não respeita(nestes e noutros casos) o direito dos cidadãos ao seu bom nome e dignidade,a uma justiça célere e transparente.Impunemente.
Quem nos protegerá dum M.P. assim?

nove horas em dois centros comerciais

Hoje,3 de agosto,fica na minha lista de recordes:pela primeira vez na vida,fui ver um filme,Contraluz,a uma hora impensável para ver cinema,às 15h e 30m.Foi em Leiria,num centro comercial fantasma.A maior parte do edifício está desocupado,vazio,sem um única loja instalada.Só funcionam na cave,dois bares e algumas salas de cinema.Muito pouca gente.A ver o filme estávamos dez pessoas.À saída vi mais umas dez ou quinze a chegar.
Não faço ideia do porquê desta situação.Talvez pela localização,que me parece completamente inadequada.Para se lá chegar e sair,dão-se voltas e mais voltas e o mais fácil é enganar-mo-nos.
De rota batida,fui ter a outro centro comercial,também em Leiria.Este bastante conhecido e frequentado,recentemente aumentado e remodelado.
Onde há vinte e poucos anos era uma quinta,com casa de família,instalações agrícolas e uma grande vinha,está agora instalado um monolito de betão,sem graça,não obstante o evidente propósito dos arquitectos em quebrar a monotonia das paredes-muralhas.
Por dentro é ondulante,luminoso,agradável.Nada de especial.O melhor é o espaço da livraria,música,video e informática correlativa.A livraria em si,é razoável,mas também nada de especial.O trivial bem apresentado.Poucos clientes,como aliás práticamente em todas as outras lojas,à excepção do supermercado e à hora de jantar nos restaurantes.Refeições baratas,ligeiras,com bom aspecto,apetitosas,para quem aprecia o género.
Entre as 16 e as 22h almocei ,jantei,fiz umas pequenas compras,deambulei.Seis horas num centro comercial,mais um recorde pessoal.
O que mais me surpreendeu foi a enorme quantidade de pessoas que ao longo deste tempo por ali passou e permaneceu.Os parques de estacionamento,interiores e exteriores estiveram permanentemente cheios.A avaliar pelo movimento que vi nas lojas,para além das compras o grande móbil da afluência aos grandes centros comerciais é de natureza social.As pessoas gostam de se mostrar em grandes palcos a grandes plateias,de estar onde as outras estão e vão com o mesmo objectivo.Aos centros comerciais vai-se comprar produtos e vender solidão.São passerelles onde cada um desfila para os demais.Muitos jovens.Uns a trabalhar.A maior parte, ponto de encontro,a namorar.
Não admira,os cafés,restaurantes e comércio na cidade são cada vez menos frequentados.Abrem e fecham a uma velocidade cada vez maior.
Por mim,os recordes que hoje alcancei,vão manter-se por muitos e longos anos,espero.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

2 de Agosto - festa ou luto?

O Tridente emergiu hoje nas águas do Tejo. Quinhentos milhões de euros a boiar.Os outros quinhentos,o Arpão, parece que vão emergir daqui a uns meses.
Uma festa para Paulo Portas,Durão Barroso,almirantes,banqueiros e outros políticos de mentalidades arcaicas.
O povo não se viu,está submerso em dívidas,desemprego,pec,impostos e desespero.O povo está de luto.
Nas próximas eleições só votarei num partido que tenha no seu programa a Extinção das Forças Armadas.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

O processo Freeport continua ... a queimar

Quando se utiliza a Justiça para fins que nada têm a ver com justiça,o resultado mais provável é o descrédito da Justiça.
Em Portugal, desacreditar a Justiça é trabalho suplementar,desnecessário. Há muitos anos que ela não cuida da sua imagem,há muito tempo, demasiado tempo que não é credível.Por culpas próprias é certo, mas tb. e principalmente por culpas de quem legisla : assembleia da república e governos.
Não há boas desculpas para que a Justiça não funcione bem.
O que não quer dizer,que possa ser infalível e tão rápida quanto desejável.
Mas entre o que temos e o que é possível,vai uma enorme distância.
Tem faltado vontade política e pragmatismo.
O caso Freeport começou com uma tramóia política ,continuou como tal e quando se pensava que teria fim à vista,está apenas a recomeçar.Os alvos a abater é que aumentaram.O Procurador Geral da República e a cúpula do ministério público estão agora na linha de fogo.Sócrates e o partido socialista,pelo menos aparentemente,já estão arrumados.Ao procurador Lopes da Mota,presidente da Eurojust,calçaram-lhe uns patins.
Um pouco mais e os conspiradores ficarão com o controle total da investigação criminal.
Estranhamente,o sindicato dos Magistrados do Ministério Público tem alimentado a confusão.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Evidenciar-se pela asneira

O presidente da câmara do Porto,rui rio,vereadores do psd e cds,não querem cumprir a deliberação da assembleia municipal,de dar o nome de José Saramago a uma rua da cidade.
Até parece que são os donos do Porto!
O psd no que toca a Saramago,vai de mal a pior,não acerta uma.Primeiro foi o célebre acto de censura literária do Lara, no governo de Cavaco.Depois foi o caso da recusa da camâra de Mafra de dar o nome de Saramago-autor do Memorial do Convento(Mafra) a uma praça.Um recém eleito eurodeputado ...... tb. do psd,sugeriu que Saramago deveria deixar de ser português.O Presidente da República-Cavaco,não compareceu ao funeral(do mal o menos,fez-se representar).
Agora vêm estas ilustríssimas abécoas fazer-se notar, mais uma vez, pela intolerância ideológico-política.O ódio a Saramago parece funcionar para esta gente como certidão de fidelidade, a um partido que se auto-intitula e pretende convencer-nos de que é social democrata e paladino das liberdades.
Saramago passa bem sem estas homenagens.
Pelo contrário,estes artistas,se alguma vez vierem a ser lembrados,será concerteza pela baixeza das suas atitudes para com ele.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Crónica do futebol mundial - I V


A táctica de Penélope


A bola já não voa,não revoluteia pelo ar,em sonhos de águia, condor,pomba, gaivota,cegonha ou andorinha e nós com ela.Onde é que ela vai parar,na cabeça do avançado de centro ,no ponta de lança,na baliza ou passa a arrasar à trave do nosso contentamento?Onde está aquela bola seta em espiral que fura os ares e suspende a respiração da turba ululante dos domingos sem missa e sem pecado?Onde está a bola que antes de ser golo nos punha de pé a torcer,a torcer para o canto direito(ou esquerdo)e passava exactamente por entre as mãos,asas,capa,muro de aço do guarda redes em vôo de albatroz,superman de defesas impossíveis? Onde está o chuto de dinamite do Matateu da minha caderneta de cromos,os remates em voo do eusébio,os dribles e a mão do maradona,as defesas acrobáticas do Carlos gomes,a finta contra finta e finta do Romário,a cavalgada alucinante do Puskas,Yachin o imbatível russo invisível,o Pélé mágico encantador de mulheres, adversários e bolas, onde estão esses heróis gregos de força e fantasia que povoaram os verdes campos ?
Onde foram,onde estiveram e o que fizeram ao Messi e ao Cristiano ronaldo?
A bola já não voa como soía.
Não é mais ave,balão, papagaio de criança,asa delta.Não vale a pena olhar para o ar,não anda nunca por lá.
Bola virou réptil,lagarto,sardão, cobra rasteira e ondulante.Não voa, não corre,não levanta do chão.Bola quer-se livre,livre como o pensamento, com imaginação.
A bola virou prisioneira de dirigentes,treinadores,seleccionadores,árbitros, negociantes,parlapatões,televisões,jornalistas,patrões,aldrabões,reis e rainhas decadentes,políticos caídos em descrédito,políticos à caça de votos,patos bravos,traficantes,comentadores,banqueiros e toda a espécie de paneleiros.
A bola já não serve para meter golos,mas só para os não sofrer.A bola ainda é redonda só por tradição.
A Espanha ganhou o mundial,ainda bem,sempre somos ibéricos não é,e o contentamento deles sempre chega aqui um bocadinho,que bem precisados estão eles e nós.A espanha não merecia ganhar,nem nós ,nem a holanda,nem ...,nem ...,nem...,nem.... .
Nenhum europeu merecia ganhar.Os africanos e sul-americanos mereciam ganhar,mas não ganharam ,caíram no engodo,pensaram que iam jogar à bola,como são ingénuos.
A bola neste mundial esteve enclausurada,guardada por carcereiros estúpidos e implacáveis.A Espanha foi quem a escondeu melhor por isso ganhou.Os adversários dos europeus mal viram a bola e quando a viram marcaram golos,o que para os europeus é absolutamente intolerável,sinal de atraso civilizacional.
A táctica vem de longe e é grega.Não a táctica dos olímpicos gregos. Mas da belíssima grega Penélope,que se soubesse como viria a ser aproveitada ,vilipendiada uns milhares de anos depois,nunca a teria inventado ou pelo menos não teria permitido que Homero passasse a sua receita,por escrito,para a posteridade.
As equipas europeias,efeminadas mas não femininas,lêem todas pela mesma cartilha. Repetidamente,até à náusea,sem brio e sem vergonha na cara desfazem num segundo, dezenas de passes pequeninos, miudinhos,croché,que levam cinco a dez minutos a chegar para lá da linha de meio campo,quando lá chegam.
Penélope,a esbelta e fidelíssima grega,desfazia de noite a colcha de malha que vagarosamente tecia durante o dia,por Amor a Ulisses !

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Crónica do futebol mundial - I I I

Há mais de 200,300,500,1000 anos,desde tempos imemoriais,não acontece nada de novo no futebol.Ainda não tinha sido inventado e já era assim.Um jogo chato,chato de fazer sono aos maiores e inveterados insones.Só quem não vê futebol precisa de recorre ao xanax e outras mixórdias entediantes.Um bom jogo de futebol dá para dormir várias noites seguidas.E um mau jogo dá para dormir até debaixo duma trovoada.Mas o futebol é muito popular,em todo o mundo.Por isso,eu que também sou popular,faço um enorme esforço para ver e gostar de futebol.A última vez que fui a um estádio,há uns bons dez anos,em alvalade,chovia a bem chover,enfiei-me no impermeável tão enfiadinho,que quando acordei era o fim do jogo.O benfica deu 6 a 3 ao sporting,que ainda por cima é o meu clube,não sei bem porquê,mas é.Das conversas com os meus amigos que gostam de futebol e alguns até são fanáticos,os carlos,por exemplo,e especialmente estes,julgo ter percebido que também não sabem porque é que são do clube que são.São porque são e isso lhes basta e como eu os invejo.Não por serem do benfica,mas porque são e pronto.Desconfio que também não gostam de futebol pelo mal que dizem dele,mas se fôr eu a dizê-lo,caiem-me logo em cima.Aprendi,isto é,vou aprendendo a falar de futebol senão eles falam e eu tenho de estar calado,o que me chateia ainda mais que o futebol.Ainda por cima os meus amigos não gostam de falar e muito menos ver e praticar o meu jogo favorito.
Se eles soubessem ,se todo o mundo soubesse como é viril e belo o meu jogo favorito,futebol nunca mais.A malta do futebol é assim,futebol,futebol,só futebol.
Que remédio pois ,senão, também eu ver futebol.
O que vale é que o mundial está para acabar.Já estou empamturrado,mas há que aguentar até ao fim.E depois,vamos a meças,jogo por jogo,jogador por jogador,golo por golo,os metidos e os falhados,cornners,off sides,misters,penaltis,tácticas, árbitros,cartões amarelos e vermelhos,substituições.E o mais que até final irá acontecer.Não que eu espere ver algo de novo,interessante, mas para ter a certeza que o meu jogo favorito é de longe o mais belo,criativo,surpreendente,inovador,viril,atlético,só gostável por quem,como eu,já teve o privilégio de o praticar.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Centro de Saúde de Alcobaça : ir pela cura e vir mais doente

Ainda há poucos meses acontecia que os doentes para serem atendidos,crianças ou velhos,sem distinção de idades,iam ganhar vez,no verão ou no inverno,a nevar ou a chover,ao relento,sem qualquer abrigo,às tantas da noite até o Centro abrir portas.Sem garantia de serem atendidos,de ter consulta.A cada dia, o ritual-sádico repetiu-se durante anos,inexplicávelmente.
Há poucos meses,esta situação alterou-se e agora,segundo me consta,neste aspecto não haverá razões de queixa.
Não há neste,mas há noutro.
O Director,o Dr. Machado,em curto espaço de tempo,pelas notícias de dois utentes que vieram ter comigo e por muitas outras de tão badaladas,usa de uma terapia de choque: insulta-os ! Sua vaca,sua gorda,sua cadela,os teus avós são uns tontos,em vez de ires ao meu consultório foste dar dinheiro a ganhar aos outros,põe-te daqui para fora,etc.,etc.,etc.,etc.,etc., etc., etc., etc., etc., etc., etc., etc., etc., etc., .......... .!!!!!
Pelo menos duas pessoas,vi eu em estado lastimável,após os insultos.Uma delas,teve de retomar tratamentos neurológicos que já tinha deixado há tempos.A outra,que estava a tratar uma depressão,inclusivé com tentativas de suicídio,veio de lá ......imagine-se ..como.
Não fora o profissionalismo e humanismo da maior parte dos médicos e demais trabalhadores do Centro,que aliás conhecem a situação mas, comprende-se, não a denunciam públicamente, e as consequências para os utentes seriam bem mais gravosas.
As pessoas,a maior parte, por serem de humilde condição social,por doença e para evitarem mais incómodos ou por receio de represálias,não fazem queixa,não reclamam. Que eu tenha conhecimento,só uma fez uso do livro de reclamações.Até agora sem resultado conhecido.
Se a autoridade competente nesta matéria não tiver conhecimento ou tendo-o não age,
um dia ,esperemos que não,pode ser tarde,a alguém salta a tampa e depois paga as favas que todos os outros deitaram para trás das costas.

A promiscuidade no serviço de saúde

O serviço nacional de saúde é porventura,o melhor fruto da democracia,em Portugal.Ou melhor,foi. Encosto daqui,empurrão dacolá,actualmente é um sistema híbrido,público-privado,promíscuo,confuso,corrupto,com tendência a privado-público,isto é,cada vez de menor qualidade, mais caro ,em vez de tendencial e universalmente gratuito ,como manda a Constituição.
Os médicos e enfermeiros no serviço público têm um horário reduzido e são relativamente mal pagos.Antes ganhassem melhor e trabalhassem mais horas.E depois ,era tão simples como isto:quem trabalha no serviço público,não trabalha no privado.Ou um,ou outro.
Servir-se do público, para ter clientes no privado,dá o o que dá e está à vista de toda a gente: maltratado naquele,acarinhado neste.
As honrosas excepções,que as há,não passam de excepções.
Se o estado quer combater a corrupção,é bom que comece por aqui.Pela nossa saúde !

Igual e diferente

Mudei de computador.Oito ou dez dias sem acesso ao blogue,internete.
Para entrar de novo ,tive de fazer montes de manobras.Enfim...,cá estou de novo com o meu diário catártico.
A letra é mais pequena e o design diferente.Não sei ainda ,se gosto.O tempo ditará a sua sentença.Continuemos... .

terça-feira, 29 de junho de 2010

Mundial de futebol-Portugal-Espanha- II

depois do jogo

Portugal zero Espanha um

Por esta não esperava ou não fosse eu sportinguista de trazer por casa ,ingénuo até dizer basta. Alguém ganha alguma coisa,feijões que sejam,sem dar em troca?
A selecção perdeu mas Portugal ganhou,meus caros.Pois é!!!
Pensava eu que o resultado poderia estar dependente do árbitro,de língua espanhola,como bem lembrou queirós,na véspera.Mas não.Naõ quer dizer que o árbitro não estivesse comprado,até é mais que natural que sim,mas esse já não é um factor imponderável.
Parvo que eu fui,não dei importância às declarações intelectualoides do treinador de carroceiros,na véspera.É sempre na véspera que o resultado se decide,estou agora,só agora a reparar,ingénuo,ingénuo que eu sou.
O dito disse qualquer coisa deste tamanho,peso e profundidade: espanha e portugal ja uma vez dividiram o mundo em duas metades,uma para espanha,outra para portugal e aí ganhámos.O tratado de Tordesilhas.
Não compreendi mas ficou a zumbir-me no ouvido,mosquito chato,persistente,inoportuno.
Carlos amigos : involuntáriamente,contribui para satisfazer os vossos desejos,ver os heróis nacionais de malas aviadas e beiça caída,de regresso ao puto.Alvitrei,isto é, disse ao queirós,põe o ronaldo a médio atacante.E pôs.Em vez de lhe inventar uma perigosa lesão,um ponto negro no lado direito(ou esquerdo) do pescoço,uma borbulha na coxa direita (ou esquerda),uma unha do dedo mindinho direito (ou esquerdo)espigada,duas pestanas do olho direito (ou esquerdo) entrelaçadas,que o impediria de jogar,não senhor,pô-lo mesmo.Foi a trapalhada que se viu.
Só depois do jogo comprendi.Ronaldo apressado,disse a um jornalista apressado que se queria uma explicação para a derrota da selecção,fosse perguntar ao queirós.
Ninguém lhe perguntou,mas este poderia ter dito,perguntem ao presidente da federação,e este ao ministro do desporto e este ao primeiro-ministro.Ao primeiro ministro?
Sim,ao primeiro-ministro de portugal e tb. ao de espanha.
Zapatero dum carago,que me dice osted:
Nosoutros pagamos a Ronaldo mucho más dinẽro que la agua corre por el rio Manzanares e Guadiana,lo entreinamos,nos fode nuestras más bonitas mulhieres e ainda quieres que nos ponga de rodilhas?
Vos damos en troca muchos milhares de espanõles que se vaiam divertir ,rezar e comer a fátima,madeira,algarve,figueira da foz,pt telecom ,alcobaça,nazaré,porto,lisboa e sé lá que más outros piquẽnos pueblos. Tordesilhas si,pero ahora es nuestra vece,gañamos nosoutros.Comprendido?
Socrates:Sin,patron,companero e camarada.
Julguemos nos.
Jogámos bem,mas ainda bem que não vi o jogo.

Mundial futebol-Portugal -Espanha -I

Antes do jogo

Dedico esta crónica aos meus amigos fanáticos do benfica,C.M.,R.R.,C.R. .
O primeiro tem a mania de que não liga nada ao futebol,mas é fanático do benfica.Quando perde, ninguém o pode aturar.Azedo,quesilento,agressivo nada o satisfaz,nada está bem.O benfica que se f... .
O segundo tb.é fanático do benfica mas quando perde disfarça.Eh pá, as coisas não correram bem,o arbitro não viu,o benfica jogou melhor mas a bola é redonda,mais isto,mais aquilo,temos uma grande equipa,vamos ganhar o campeonato.
O terceiro é o maior fanático de todos os benfiquistas.Jogador e treinador que foi,dita a sentença:aqueles paneleiros do c.....o,em vez de jogar futebol deviam era mugir vacas,em vez de estarem ali com festinhas,a pedir licença para dar pontapés na bola e chutos nas canelas dos outros cabrões,p.q.o.p.,assim não vamos lá.
De comum, o primeiro e o terceiro,têm a selecção portuguesa abaixo do nível de água ,seja ele cão da serra D'Aires ou rafeiro da mais alta estirpe.
Permiti-me ,meus amigos, que entre nesta disputa.Sou adepto nas horas vagas,do sporting,único clube em Portugal que disputa o futebol com fair play,como gentleman.Um quarto lugar já é motivo de glória!Ainda estamos no tempo em que o futebol era um desporto e daqui não queremos passar ou deixará de ser desporto,desporto acima de tudo.Porto..porto..benfica ..benfica ..vão para o raio que vos parta e fiquem lá com a taça,seus pintistas e lampiões de merda.
Voltando à selecção e ao jogo de daqui a pouco,acho que vamos ganhar.
O Queiroz estudou a lição do Mourinho,no inter-barcelona.
Táctica:o autocarro na baliza.Trocado por miúdos:onze na baliza,dois suplentes á defesa-médios-atacacantes(Ronaldo e Fábio Coentrão)e um,o liedson do sporting,como ponta de lança (é pequenino e passa desapercebido) e é assim que os f...... .
O queiroz é u bom aluno,mourinho o Gama do caminho para as vitórias,ronaldo o sedutor que abre fendas na mulherada espanhola,que mais se pode esperar?
Se o arbitro estiver comprado,poderemos ganhar.Se não estiver,mesmo assim,aposto na nossa selecção.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Fernando Nobre a presidente

Há umas horas ouvi parte da entrevista que deu na Sic.
Identifico-me com o que diz e como o diz.É um de nós (do povo) a falar.O melhor de tudo é o seu exemplo ao longo de trinta anos.Faz,em vez de prometer.A solidariedade com os mais desfavorecidos não é um slogan,tem sido a sua prática constante.
Não acredito nos que têm passado a vida a prometer e não praticam o que prometem.
Acredito nele.
A sua eleição será a higiene na política.
Eu e milhões de portugueses também queremos ser presidente da república.
Lemos Saramago e reeditaremos o" Ensaio sobre a lucidez ".
Não queremos intermediários,como sempre e mais uma vez,a escolher por nós.
Somos adultos e livres.
Chegou a nossa oportunidade e não vamos desperdiçá-la.
Seremos presidente com Fernando Nobre.
Será ele a nossa voz.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

A sé da Guarda ou de Espanha nem bom vento nem bom casamento

Por vezes a conjuntura põe-nos de costas voltadas.Famílias desavindas sem uma boa razão,amigos que viram inimigos sem saber porquê,guerras cruéis,sangrentas ,intermináveis por causas mesquinhas ou ridículas,ódios que se herdam de geração em geração para manter a tradição.Os governos dos povos ,ao longo da(s) sua(s) história(s) mostraram-se quase sempre tão estúpidos e alheios aos interesses das pessoas que governavam que nem os consideravam pessoas.Mandavam-nos para a morte com o mesmo àvontade com que se mandam hoje as mais diversas espécies de animais para o matadouro.
Estou a falar do passado,mas na verdade ainda hoje a "história" não é muito diferente.A côr da pele,a religião,as ideias,os diamantes,ouro,petróleo,outros minérios e bugigangas que alimentam a vaidade e ganância dos poderosos,trazem o mundo em pé de guerra.
"A gota de Mel " de Leon Chancerel,peça de teatro que se lê ou representa em cinco minutos, deveria ser leitura obrigatória nas escolas ao longo de toda a vida escolar,da primária à universidade e especialmente deveria ser um preâmbulo de todas as leis constitucionais de todos os estados.Presidentes da república e governantes só deveriam tomar posse depois de a declamarem em público.
Vem isto a propósito ou despropósito da morte de Saramago,casado com a espanhola Pilar.Um dos mais belos exemplos(de amor),nos dias que correm,de como a história oficiosa,ao longo de muitas gerações, não é boa conselheira:
De Espanha nem bom vento nem bom casamento.
O ódio intermitente,interesseiro e mercenário das famílias reais e nobres(mas não dos povos,que sempre se borrifaram para isso)marcou a história da peninsula ibérica.Pedro e Inês, as vítimas emblemáticas da tragédia.
Ódio vindo dos primórdios da nacionalidade,foi cultivado na pedra,no granito rijo da beira alta.
A sé da Guarda documenta o que foi essa política.Uma das gárgulas viradas para oriente é um cu a cagar para Espanha.

"Ensaio sobre a pequenez" ,de José Saramago


Trata-se de um romance post-mortem, de José Saramago.O último da trilogia de Ensaios.
Tive a sorte,diria antes,o privilégio de lho ouvir ditar,sussurar ou imaginar ,no breve minuto de sábado passado,no final de tarde,em que me postei à sua frente,na câmara municipal de Lisboa,para lhe dizer, até sempre,josé!


Ensaio sobre a pequenez

Dizem que morri e até posso acreditar nisso pelas fúnebres mensagens blá blá blá das duas primeiras figuras do estado de Portugal o presidente da república cavaco silva e o presidente da assembleia da mesma o... (como é que ele se chama) qualquer coisa ...gama.. mas não virão ao meu funeral.

câmara municipal de lisboa 19 de junho do ano de 2010
José Saramago



O facto é que os ditos dois não compareceram.

Abriu-se a discussão entre analistas literários,por um lado e analistas políticos por outro.
Estes dividem-se entre deveriam os ditos dois ter comparecido ou não.
Aqueles,sobre o que queria dizer Saramago quando escreveu,isto é,disse,isto é,imaginou,isto é, teria dito:" mas não virão ao meu funeral".

Uns inclinam-se para que ele terá querido dizer:não quero que eles venham ao meu funeral.
Outros:espero que esses reles não venham ao meu funeral.
Outros:não acredito que eles sejam minimamente grandes para vir ao meu funeral.

Eu,medium nesta causa,atrevo-me a dizer,todos, em conjunto,têm razão.
Saramago não quis,não desejou e previu que eles não iriam comparecer.

À Pilar:
Desculpe-me,minha amiga desconhecida,esta incursão no território dos seus afectos.
Obrigado pelo amor que dedicou ao nosso josé.Sem ele(sem o seu amor) onde teria o josé arranjado forças,para ir tão longe,voar tão alto?

sábado, 19 de junho de 2010

Lusíadas que por obras valerosas se vão da lei da morte libertando

I

JOSÉ SARAMAGO - (1922-2010)

Nacionalidade: PORTUGUÊS

Escritor

Prémio Nobel da Literatura

Obras:



Dados biográficos:

sexta-feira, 18 de junho de 2010

José Saramago morreu?Viva o José Saramago!!!

No texto anterior,Dia de Portugal,propus-me criar neste blogue uma galeria de" Lusíadas que por obras valerosas se vão da lei da morte libertando "
especialmente dos ainda vivos,mas não só.
Tinha em mente colocar o José Saramago no primeiro lugar.
Durante oito dias não escrevi.A morte,sem aviso prévio,traiu-me,levou a vida do meu maior lusíada vivo.Mas não levará a melhor.SARAMAGO não será esquecido por muitos e longos anos,no mínimo, durante todo o tempo que durarem todos os que tiveram o prazer e o privilégio de o poder ler,em Portugal e no resto do mundo.
Neste tempo,que é o nosso,em que as marcas imperam e tudo é produto vendável e de preferência exportável,SARAMAGO é a marca, por excelência,do melhor que temos para oferecer:a nossa língua,a nossa cultura.Se estas sobreviverem,sobreviveremos.
Camões,Fernando Pessoa e José Saramago foram,são e serão marcos indestrutíveis deste povo.
A feira de vaidades que vai por aí,dura o tempo dum fogacho ou dum foguete de lágrimas.
As obras valerosas demoram tempo a ser reconhecidas e quase sempre são hipócritamente ignoradas e até hostilizadas, pelos poderes instituidos.Saramago também provou desse fel.
Saramago morreu, mas sobreviverá e nós com ele.
Outros estão na forja.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Dia de Portugal

Os Lusíadas,de Luís de Camões

Sou português porque nasci em Portugal.Sou mais português porque aprendi,com a leitura dos Lusíadas,o sentido universalista da história,o nosso passado.
O presente,tal como o de Camões era,é de crise.
Por isso ele cantou:

Canto Primeiro
I
As armas e os Barões assinalados
Que, da Ocidental praia lusitana,
Por mares nunca navegados,
passaram ainda além da Taprobana,
.................................
.................................
.................................
.................................
II
---------------------------------
---------------------------------
---------------------------------
---------------------------------
E aqueles que por obras valerosas
se vão da lei da Morte libertando
-Cantando espalharei por toda a parte
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

As comemorações do Dia de Portugal reflectem a visão oficiosa dos poderes instituidos.Na maior parte dos casos,condecoram-se uns aos outros.Os que nos estão a afundar, boa parte já condecorados,condecoram os que nos ajudaram a meter ao fundo.
p.q.o.p. .

CVI

No mar tanta tormenta e tanto dano,
Tantas vezes a morte apercebida!
Na terra tanta guerra,tanto engano,
Tanta necessidade avorrecida!
Onde pode acolher-se um fraco humano,
Onde terá segura a curta vida,
Que não se arme e se indine o Céu sereno
Contra um bicho da terra tão pequeno?


Em alternativa,quem me dera ter um pouco do engenho e arte de Camões,vou abrir um espaço neste blogue,para evidenciar os lusíadas ,de preferência ainda vivos,mas não só,dignos de admiração pelo seu engenho e arte.
Convido os leitores deste blogue a colaborarem,indicando nomes e razões da nomeação.
"Os portugueses que por obras valerosas,se vão da lei da Morte libertando"

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Viva a senhora Merkl.

Ser político deve ser a profissão mais difícil do mundo. Sobretudo os políticos com cargos mais visíveis. Mal lá entram têm a plateia toda a espiar, cobrar, maldizer, a contrariar. Porque sim. Normalmente diz-se mal dos políticos. É o mais fácil. Até (sobretudo) os que já foram e principalmente os que querem ser políticos dizem mal dos que lá estão. Claro que quando lá estiveram, ou quando lá estiverem, é tudo quase igual. O povinho, já se sabe, diz mal de tudo.

Mas de vez em quando é preciso dizer bem dos políticos. Até dos políticos menos simpáticos. Até dos políticos alemães. Até dos políticos de direita!

Afinal a Alemanha não só exigiu um mínimo de rigor, responsabilidade e sacrifício aos países do Sul, como está disposta a seguir o mesmo caminho. E, o mais interessante, uma das principais medidas propostas para redução do deficit e da dívida é: redução de 1/6 das forças armadas! Menos 40 mil em 250mil. É obra! (Já vi valores diferentes nos jornais, ainda mais impressionantes)

Nem liberais, nem esquerdistas, nem (pseudo) rebeldes portugueses de qualquer quadrante político se atreveriam sequer a propor nem metade disto. Os militares viriam logo com avisinhos e os políticos amansavam, e o povo compreenderia! Eu, que em teoria até sou a favor de se acabar com as FAP, compreenderia que "não poderia ser". Mas pode!

Viva a senhora Merkl.

Doentes talvez, mas não tanto…

De repente, a febre de que vínhamos padecendo, e nos fazia por dá cá aquela palha dizer mal, responsabilizar e chamar no mínimo, mentirosos os nossos responsáveis e políticos foi-se. Subitamente, sem que quase déssemos por tal, essa doença desapareceu. Uma cura milagrosa!? Quem é que hoje ainda acredita em milagres?

Recordarão muitos de nós, creio eu, que em tempos não longínquos para nos livrarem daquela mesma doença do mal dizer ou mesmo pensar, existia um remédio a que chamávamos o ópio do povo, fabricado com dois ingredientes base - futebol e Fátima. Pensando, não muito, no que se está a passar entre nós, afigura-se-me fácil diagnosticar qual o remédio que recentemente actua sobre a generalidade do nosso povo.
Vejamos. A loucura, os exageros da vinda do Papa, seguida da loucura e exageros do actual mundial não deixam a mínima dúvida. São, como o eram anteriormente, a mais perfeita e completa coincidência de doença e cura. As bandeirinhas, os noticiários, os feriados. Tudo se encaixa. Ah!, agora temos cornetas. Quase, quase ébrios.
No final, o Papa foi-se e não resolveu a crise, havendo até quem afirme tê-la agravado gastando o que restava do ouro na cobertura do micro. Quanto aos pequerruchos, que lá por terras de Mandela “nos representam”, terminado o “trabalho”, como referia o Expresso, partirão tal como chegaram, nos seus helicópteros, nos seus jactos e nos seus maseratis particulares. O que nos deixarão!? sem dúvida a crise, e conforme tudo indica, mais agravada.

Então, de novo e inexplicavelmente, seremos assolados pela maldita febre de mal dizer, e actuaremos em conformidade, tratando os políticos e não só pelos próprios nomes. Enfim sós, ficaremos de novo doentes, porque o futebol está de férias e o Papa está em Roma.

Questiono-me porém se na realidade estaremos doentes, ou de melhor saúde? Seguramente mais tristes. Mas seguramente mais sóbrios, e nem que seja só por isso, seguramente mais saudáveis. Sem ópio.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Sr. Presidente da Câmara de Alcobaça

Meu Caro e Ilustre Amigo
Meu Caro Ilustre Ex-Colega
Sr. Presidente da Câmara de Alcobaça

Com este tratamento amistoso e pouco institucional,não é minha intenção comprometer-te(lo) perante os t(s)eus companheiros de partido ou eleitorado.Antes de ser(es) Presidente ,enquanto advogado ,tratavamo-nos por tu,trocávamos impressões,ideias e teciamos comentários sobre a vida autárquica e embora estivessemos muitas vezes em desacordo,nem por isso o nosso diálogo,sempre ocasional ,ao virar da esquina,foi menos intenso,cordial e correcto.
Desde que assumiu(ste) a presidência da Câmara,por expressa vontade do eleitorado em eleições democráticas,só nos encontrámos uma vez de raspão,na via pública e nem tivemos oportunidade de ir além dum simples aperto de mão.
Também não é meu hábito procurar os amigos ou conhecidos quando assumem cargos públicos com poder de decidir a vida da comunidade,sejam eles presidentes da república,ministros,secretários de estado,presidentes de câmara,junta de freguesia ou outros.
Estou agora a fazê-lo ,públicamente,para que não haja mal-entendidos sobretudo para t(s)i.
Sei que não te(lhe) está a ser fácil assumir a pesada,envenenada herança do t(s)eu antecessor.Nem pretendo que públicamente o manifeste(s),pois poderia parecer ingratidão da t(s)ua parte.
Estou a escrever-te(lhe) esta missiva, por uma razão tão simples e comezinha como esta de ser o eleitor nº649 da freguesia de Alcobaça,há mais de trinta anos.
Li no blogue do vereador Rogério Raimundo da CDU,a melhor por mais completa informação da nossa vida autárqica,que a breve trecho,poderão vir a ser realizadas obras de vulto( físico e financeiro) em Alcobaça,na zona compreendida entre o mercado e o estádio municipal.
Obras que pelos vistos,irão revirar por completo,mais uma zona comercial e habitacional das mais importantes da cidade de Alcobaça.Com todos os inconvenientes temporários e duradouros,que as recém acabadas obras no centro histórico,ainda hoje evidenciam.
A Praça João de Deus Ramos não só é de construção relativamenta moderna,como para além disso é bastante cómoda,agradável, funcional e custou montes de massa ao erário público.
Destrui-la,para se fazer nela não se sabe bem o quê,não pode ser de ânimo leve.
Os projectos sucedem-se.
Com a câmara anterior era um,agora já é outro.
O facto é que nenhum deles foi submetido à apreciação dos alcobacenses.
Mais importante que as obras e aplicação dos fundos comunitários,do estado e câmara, é conveniente não esquecer,são os habitantes de Alcobaça.Com as obras no centro histórico foi o que foi.Quererá esta câmara repetir os mesmos erros,só porque é câmara,pode,manda e quer?
Por princípio,não questiono a necessidade da realização de algumas obras e melhoramentos na zona em causa.Mas enquanto cidadão português e alcobacense,tenho como todos os demais,o direito de saber como vai ser gasto o nosso dinheiro e ser ouvido em questões como esta,que podem afectar a vida de todos os moradores, de forma drástica.
Nas obras do centro histórico,a população só foi ouvida apressadamente e mal, após fortes protestos e de má vontade.
A Câmara de Alcobaça viu no movimento gerado um inimigo, em vez de um aliado.O resultado está á vista,péssimo!
Senhor Presidente da Câmara de Alcobaça:
faça-nos o favor de não trilhar o caminho do seu antecessor.Ausculte e pondere as sugestões dos alcobacenses.Promova uma discussão pública e séria do projecto.Queremos saber, sem margem para dúvidas e contribuir, para o que vai ser no futuro,o nosso território.
Com os meus cumprimentos

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Mandela e a PAZ

Acabei de ver na SIC,um documentário da Cândida Pinto sobre Nelson Mandela.
Sintético e oportuno.
Seria bom que as televisões passasem mais vezes programas sobre este prémio Nobel da Paz e outros que também o foram e mereceram.
È que, alguns Prémios Nobel da Paz foram entregues a personagens sinistras,que só souberam fazer a guerra e foram responsáveis por um enorme cortejo de mortos,feridos e destruição.Entre estes, contam-se laureados da infindável guerra israelo -palestiniana e médio oriente.
Guerras com novos episódeos em curso e outros que se adivinham já em preparação.
Israel e a África do Sul do apartheid,são duas faces da mesma moeda,por mais que se tente branquear Israel.A grande diferença está em que do lado palestiniano não existe um MANDELA e do lado de Israel um DE KLERC.

A propósito,e porque em menos palavras é muito difícil-para mim impossível- dizer melhor,socorro-me da transcrição que fui retirar(abusivamente,espero que não me leve a mal) ao blog da Fundação Saramago.Aqui fica.

Outros Cadernos de Saramago
Educar para a paz
Junho 3, 2010 por Fundação José Saramago

Resulta muito mais fácil educar os povos para a guerra do que para a paz. Para educar no espírito bélico basta apelar aos mais baixos instintos. Educar para a paz implica ensinar a reconhecer o outro, a escutar os seus argumentos, a entender as suas limitações, a negociar com ele, a chegar a acordos. Essa dificuldade explica que os pacifistas nunca contem com a força suficiente para ganhar… as guerras.

“Israel vive às custas do Holocausto”, em Palestina existe!, Madrid, Foca, 2002 [Prólogo e edição de Javier Ortiz] [Entrevista de Javier Ortiz]

Publicado em Outros Cadernos de Saramago | Comentários Desligados
Fundação José Saramago

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Ainda sobre Fátima e o "papá"...

Um padre católico a falar sobre o assunto! Pelos vistos Fátima seria incompativel com a teologia católica!!!!

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1555097

terça-feira, 1 de junho de 2010

Israel - o estado terrorista

Mais uma vez e são já tantas,o estado de Israel volta a matar gente desarmada.
Nasceu pelo terrorismo e nunca mais parou.Nem parará,se a comunidade internacional não o fizer parar.
Judeus vítimas do nazismo,viraram nazis( nem todos).Os defensores da paz,são eles próprios vítmas do regime.
Os estados europeus com o seu complexo de culpa e interesses petrolíferos à mistura,também não páram de acarinhar este monstro contra a paz.
Pelo contrário,acolheram-no no clube das democracias.Como se democracia, terrorismo(que dizem combater),colonialismo,apartheid,genocídios,crimes de guerra e contra a humanidade rimassem com direitos humanos.
Europeus e americanos,não estão preocupados com o arsenal nuclear na posse de fascistas como o primeiro ministro Netaniau e o ultrafascista m(s)inistro dos negócios estrangeiros.
Hoje, todos os governos e europeus em particular,se mostram preocupados ou condenaram o massacre de pacifistas.Daqui a uns dias volta tudo ao normal,como nas vezes anteriores,vai tudo parar ao rol dos esquecidos.
Não são só os governos de Israel que não prestam,que são criminosos.Os nossos,hipócritas e fingidores,colaboram com eles.A verdade é que a europa tem saudades do colonialismo.Não sabe viver sem escravos e lacaios.A europa vota cada vez mais à direita.
Enquanto assim fôr,bem poderemos gabar-nos da nossa democracia,à inglesa,para inglês ver !

domingo, 30 de maio de 2010

3 de Junho - Feriado - Corpo de Deus

Corpo de Deus ou Corpo de Cristo

Fui pesquisar no google a hist+oria deste feriado.Os amigos cat+olicos e praticantes que consultei,revelaram-se tçao ignorantes nesta mat+eria,quanto eu.
Afinal a coisa +e bem simples.
Mais um milagre *a boa maneira cat+olica,uma patranha tçao grosseira que at+e impressiona como algu+em acreditou nela e o pior,ainda se acredita.
No ano de 1246,um padre meio ou completamente alucinado, disse ter visto saltar uma gota de sangue do c+alice das h+ostias e cair sobre uma toalha do altar(que se encontrar+a ainda na catedral de Orvieto,em It+alia).
Milagre!!! Milagre !!!
Foi o papa Urbano IV verificar e l+a estava a alva toalha tingida do filial sangue de deus.Logo ali passou certidçao de milagre( o milagre de Bolsena) e mandou, pela bula Transiturus,que a efem+eride passasse a ser comemorada universalmente.
Quem pode, manda.
Ainda hoje,764 anos depois,carneiros e obedientes,rep+ublica constitucionalmente laica, paramos tudo e em procissçao veneramos a divina gota,mesmo nçao sabendo se +e de vinho tinto ou de sangue. O que para o caso tanto importa.
+E feriado e isso basta.

p.s.- a acentuaçao neste texto tamb+em saiu alucinada.Nçao creio que seja por milagre e do vinho tinto(ou outro) juro que tamb+em nçao.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Crise ? corte por aqui...

Somos um país pequeno e tão fácil de governar...!
Com a mania da perfeição complicamos tudo.E depois (outra mania) copiamos tudo o que se faz lá fora.
E para parecermos grandes,importantes, exageramos.
Em Alcobaça,terra da maçã,só comemos da nossa com carimbo da Argentina,da África do Sul ,da China ou até da Espanha,esta não tão boa como as outras,porque vem de muito perto.
Em Portugal o vinho não presta.Qualquer tasco que se preze tem uma carta de vinhos que vai da Noruega ,França,Quirziguistão,Itália,EUA,Brasil,Chile,Rússia,China,Japão... E, bebedola endinheirado, não conhece os Dão, Douro,Pinhel,Borba,Porca de Murça,Palmela,EA,Castelo Rodrigo,JP,Vale-de-Madeira,FM,Vale de la Mula,Alpedriz e centenas de outras zurrapas,mas não lhe escapam ,os paladares,a côr,textura,o aroma,as castas,as marcas dos melhores produtores daqueles países.Eh pá,que vinho,que espírito,é um néctar de deuses para deuses!
Passa-se o mesmo com tudo e em tudo.
Até na política ou especialmente nesta.
Os grandes estados,EUA,China,Rússia,Índia,França,Alemanha....,com uma população qualquer deles muitas vezes superior à nossa têm Um Presidente da República.A Espanha e Inglaterra nem têm nenhum.E a nós,não nos bastava um a meio tempo,um meio presidente ou nem tanto?
Temos uma Assembleia da República com 230 deputados,à razão de um por cada 42 500 portugueses ou 25 000 eleitores ou 15 000 votantes.Não nos chegava bem, meia assembleia? ou para não ser tão de chofre,tão de supetão, dois terços ?
Com o governo a mesma coisa.Para quê tantos ministros,secretários e subsecretários de estado,acessores,consultores,directores,administradores,generais,almirantes,contínuos,motoristas, viaturas,viagens, almoços,jantares,ajudas de custo,entrevistas ,discursos e sei lá que mais?
Poderia e deveria aplicar-se a mesma regra que está em vigor na função pública:saem três fica um.
Os bons exemplos são os que vêm de cima.Querem cortar? cortem por aqui...........

terça-feira, 18 de maio de 2010

O primeiro casamento homossexual em Portugal

Famílias de tronco comum,convergentes na ambição,ciclicamente desavindas nas partilhas.
Os chefes dos clãs raramente se toleram.Cada um diz o pior do outro.Na verdade detestam-se.Ou um ou outro.Sucedem-se.Ora um ora outro.São iguais.Não se distinguem pela raça,religião,política ou sexo.
Os interesses umas vezes dividem-nos,outras unem-nos.Casam,separam e divorciam-se.É sempre para sempre.Enquanto dura.Desta vez,mal o Presidente promulgou a lei do casamento homossexual,já os dois se casaram.Sem amor.O amor não é obrigatório.O que interessa são os interesses das famílias.
PS-PSD.Sócrates-Passos Coelho.Ou vice-versa. Serão felizes ?
Outro noivo,ciumento,rói as unhas. Impaciente,espera.Trabalha na sombra.O CDS-Paulo Portas também é de família aparentada.
Não estamos num estado islâmico,é pena.Casamentos a três ainda não chegámos lá. Progressistas sim,mas não tanto.
Ainda a boda e tango vão no ar.Demos tempo ao tempo.

Judite de Sousa, entrevistadora ?

Ainda não lhe vi um trabalho de jornalismo digno de boa nota.Provávelmente,desatenção minha ou televisão a menos. Entrevistas,muitas.Não gostei,não gosto.Na de hoje,a José Sócrates,mais uma vez, foi um desastre.
A senhora tem opiniões e faz afirmações que toma por verdadeiras e acertadas.E muitas vezes,nem uma coisa,nem outra.O que é grave num jornalista.Em vez de informar,desinforma.
A entrevistar, a senhora faz perguntas,mas interrompe sistemáticamente as respostas.Parece pretender que o entrevistado não responda,sobretudo quando este se encaminha para uma resposta que a ela não lhe agrada ou não é aquela que ela esperava(para depois os comentadores crónicos poderem dizer que ele não respondeu).
A técnica é encavalitar perguntas sobre as respostas,para tentar atrapalhar o entrevistado ou ocultar o que este diz.
A senhora, muito mais subtil e refinada que a Moura Guedes,parece pertencer à mesma escola.E na televisão,para mal de todos nós,não são casos únicos,bem pelo contrário.
Sem a pavonice de quem parece julgar-se o supra sumo das entrevistadoras,Ana Lourenço e Clara de Sousa da SIC,são um bom exemplo de bem entrevistar: serenas,objectivas,incisivas.
Sabem e deixam ouvir o que o entrevistado tem para dizer.O entrevistado é o protagonista. Elas ficam na penumbra (não obstante,a sua presença bonita e elegante não ser fácilmente relegável para segundo plano).
Judite de Sousa,hoje,foi remetida a olhar-se ao espelho,por José Sócrates.Se viu o que nós vimos,deve ter ficado surpreendida com a sua imagem: uma cara retorcida pela raiva,á beira do choro.
Como diria o Carlos Pinto : acontece .

sábado, 15 de maio de 2010

Este Maio tresanda a ópio

A receita salazarista para manter o povo satisfeito consigo próprio, ainda funciona:
caldeirada de fado ,futebol e fátima.
O fado tem funcionado como tempero,nem de mais nem de menos.
Temos hoje uma geração de bons fadistas que não desmerecem os maiores de ontem,bem pelo contrário.
O futebol enquanto jogo,espectáculo,também evoluiu e profissionalizou-se.Um negócio que movimenta avultadas massas:dinheiro e pessoas.Até aqui tudo bem,o pior é que virou religião,com seitas de fanáticos.Tem capelas,igrejas e catedrais dessiminadas por todo o território,à semelhança da sua maior congénere,a igreja católica.Tem até já mais fiéis que esta(muitos são comuns).Com a vantagem de,apesar de tudo,ter um passado mais recente e talvez por isso, mais limpo,ser mais racional e,internacionalmente,mais pacífica ,um elo de aproximação,intercâmbio de povos e países.
Este Maio ganhou o Benfica.Jesus esteve com ele,o Benfica ressuscitou.O povo benfiquista - um mar de gente, são mesmo muitos-rejubilou.Mas..benfiquistas, não se importam de parar por uns tempos de nos assobiar aos ouvidos?Quinze dias só de Benfica(fora o resto do ano),já lhega,tá bem?
Eis senão quando,aproximou-se o dia de Fátima-o 13 de Maio,que não sendo novidade,ocorre todos os anos (o que raramente acontece com um benfica vitorioso),com a particularidade neste ano,de ter por peregrino o papa, um poderoso chefe de estado,não de um povo ou território,mas de almas, espíritos.
O Papa,autocognominado de Bento 16,na boca do nosso Presidente da República,1º ministro,e muitos outros intelectuais de igual gabarito da nossa praça,passa por ser também um grande intelectual,
um espírito aberto, dialogante, corajoso, transparente, um buscador incessante da verdade.
Disseram também os nossos,que o convidado vinha trazer-nos uma palavra de ânimo e de conforto(o que aliás vem mesmo a calhar ,dado o momento aflitivo por que passamos).Eu,acreditei neles.Na rádio,televisão e jornais também.Se o dizem e a toda a hora, é porque é verdade.
Não foi por mero acaso que o país parou,a mando do governo.O povo compareceu em massa(os benfiquistas é claro, dizem que tiveram mais gente).
Acreditei que o papa,um militante de deus,iria finalmente reconciliar-nos e reconfortar-nos com a verdade e transparência.Julguei ter sonhado a homilia do papa,palavra por palavra,assim,tão simples: " Fátima é um negócio,um excelente negócio para Portugal e para a igreja católica,o melhor que se inventou no sec.xx. Mas ....mas desculpem lá portugueses,aqui para nós que ninguém mais nos ouve,Fátima é uma mentira,uma burla,uma droga que uns quantos negociantes e padres engendraram e que o Cerejeira e Salazar adoptaram,oficializaram,propagandearam e injectaram no povo humilde e sofredor.Fátima é:o altar da mentira. Crentes:em casa ou se voltardes a Fátima, rezai ao vosso deus,qualquer que ele seja,para que esta e todas as outras fátimas ,nunca mais sejam donos dos vossos pensamentos,esperanças e vida."
Ingenuidade a minha!
Este papa (é já o terceiro),longe de revelar a verdade,insistiu e avalizou a mentira.
Quanto a mensagem,nem vê-la nem ouvi-la,pura e simplesmente não existiu.
Para quê tanto alarde,tanta pompa,tanto gasto do erário público,tanta louvaminha? Já ouvimos melhor de ignorados diácono ,sacristão ou rata de sacristia.Ainda assim,a sua vinda parece ter encantado o nosso intelectual Presidente.Valha-nos ao menos isso,não se perdeu tudo.
Este Maio ainda vai a meio.E a dose de ópio também,ou nem tanto.
Sem tempo para respirarmos,eis que chegou mais futebol,agora sob a forma de selecção portuguesa,
para a peregrinação mundial à África do Sul.Até finais de Junho.
De olhos e ouvidos já nem falo,mas ainda haverá nariz que aguente?